"Um SInal no Céu"

1ª Leitura: Ap 11,19a;12,1-6a.10ab - "Apareceu no céu um grande sinal."

     Leitura do Livro do Apocalipse de São João.
     11,19aAbriu-se o Templo de Deus que está no céu e apareceu no Templo a arca da Aliança. 12,1Então apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas. 2Estava  grávida e gritava em dores de parto, atormentada para dar à luz. 3Então apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão, cor de fogo. Tinha sete cabeças e dez chifres e, sobre as cabeças, sete coroas. 4Com a cauda, varria a terça parte das  estrelas do céu, atirando-as sobre a terra. O Dragão parou diante da Mulher que estava para dar à luz, pronto para devorar o seu Filho, logo que nascesse. 5E ela deu à luz um filho homem, que veio para governar todas as nações com cetro de ferro. Mas o Filho foi levado para junto de Deus e do seu trono. 6aA mulher fugiu para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um lugar. 10abOuvi então uma voz forte no céu, proclamando: "Agora realizou-se a salvação, a força e a realeza do nosso Deus, e o poder do seu Cristo".
     Palavra do Senhor.
 
Salmo Responsorial: Sl 44(45),10bc.11.12ab.16 (R/. 10b)
 
     R. À vossa direita se encontra a rainha,
         com veste esplendente de ouro de Ofiro.

     10b As filhas de reis vêm ao vosso encontro,
     c   e à vossa direita se encontra a rainha
         com veste esplendente de ouro de Ofiro.
 
       11   Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:
           "Esquecei vosso povo e a casa paterna!
       12a Que o Rei se encante com vossa beleza!
       b    Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!
 
     16 Entre cantos de festa e com grande alegria,
        ingressam, então, no palácio real".

2ª Leitura: 1Cor 15,20-27a - "Entregará a realeza a Deus-Pai, para que Deus seja tudo em todos."

     Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios.
    Irmãos: 20Na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. 21Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos. 22Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. 23Porém, cada qual segundo uma ordem determinada: Em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. 24A seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus-Pai, depois de destruir todo principado e todo poder e força. 25Pois é preciso que ele reine até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. 26O último inimigo a ser destruído é a morte. 27aE, quando todas as coisas estiverem submetidas a ele, então o próprio Filho se submeterá àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos.
     Palavra do Senhor.

 EVANGELHO: Lc 1,39-56 - "Como posso merecer que a mãe do meu Senhor venha visitar-me?"

     + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
    39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judéia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: "Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!" 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido, o que o Senhor lhe prometeu". 46Maria disse: "A minha alma engrandece o Senhor, 47e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador, 48pois, ele viu a pequenez de sua serva, eis que agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 49O Poderoso fez por mim maravilhas e Santo é o seu nome! 50Seu amor, de geração em geração, chega a todos que o respeitam. 51Demonstrou o poder de seu braço, dispersou os orgulhosos. 52Derrubou os poderosos de seus tronos e os humildes exaltou. 53De bens saciou os famintos despediu, sem nada, os ricos. 54Acolheu Israel, seu servidor, fiel ao seu amor, 55como havia prometido aos nossos pais, em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre". 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.
     Palavra da Salvação.

 

Lc 1,39-56 - “Você é bendita entre as mulheres”

O evangelho da festa de hoje tem duas partes bem distintas, o encontro entre Maria (grávida de Jesus) e Isabel (grávida de João) e o Canto do Magnificat. Para entender o objetivo de Lucas em relatar os eventos ligados à concepção e nascimento de Jesus, é essencial conhecer algo da sua visão teológica. Para ele o importante é acentuar o grande contraste, e ao mesmo tempo a continuidade, entre a Antiga e a Nova Aliança.

A primeira está retratada nos eventos ligados ao nascimento de João, e tem os seus representantes em Isabel, Zacarias e João; a segunda está nos relatos do nascimento de Jesus, com as figuras de Maria, José e Jesus. Para Lucas, a Antiga Aliança está esgotada, deu tudo que podia dar - os seus símbolos são Isabel, estéril e idosa, Zacarias, sacerdote que não acredita no anúncio do anjo, e o nenê que será um profeta, figura típica do Antigo Testamento. Em contraste, a Nova Aliança tem como símbolos a virgem jovem de Nazaré que acredita e cujo filho será o próprio Filho de Deus. Mais adiante, Lucas enfatiza este contraste nas figuras de Ana e Simeão, no Templo, (Lc 2, 25-38), especialmente quando Simeão reza: “Agora, Senhor, conforme a tua promessa, podes deixar o teu servo partir em paz. Porque meus olhos viram a tua salvação” (2, 29)Por isso, não devemos reduzir a história de hoje a um relato que pretende mostrar a caridade de Maria em cuidar da sua parenta idosa e grávida. Se a finalidade de Lucas fosse somente mostrar Maria como modelo de caridade, não teria colocado versículo 56, que mostra ela voltando para a sua casal antes do nascimento de João. Também não é verossímil que uma moça judia de mais ou menos quatorze anos enfrentasse uma viagem tão perigosa como a da Galiléia à Judéia! A intenção de Lucas é literária e teológica. Ele coloca juntas as duas gestantes, para que ambas possam louvar a Deus pela sua ação nas suas vidas e para que fique claro que o filho de Isabel é o precursor do filho de Maria. Por isso Lucas tira Maria de cena antes do nascimento de João, para que cada relato tenha somente as suas personagens principais: de um lado, Isabel, Zacarias e João; do outro lado, Maria, José e Jesus.O fato que a criança “se agitou” no ventre de Isabel faz recordar algo semelhante na história de Rebeca, quando Esaú e Jacó “pulavam” no seu ventre, na tradução da Septuaginta de Gn 25, 22. O contexto, especialmente versículo 43, salienta que João reconhece que Jesus é o seu Senhor. Iluminada pelo Espírito Santo, Isabel pode interpretar a “agitação” de João no seu ventre - é porque Maria está carregando o Senhor.As palavras referentes a Maria: “Você é bendita entre as mulheres, e bendito é o fruto do seu ventre” (v. 42) fazem lembrar mais duas mulheres que ajudaram na libertação do seu povo, no Antigo Testamento: Jael (Jz 5, 24) e Judite (Jdt 13,18). Aqui Isabel louva a Maria que traz no seu ventre o libertador definitivo do seu povo.Vale destacar o motivo pelo qual Isabel chama Maria de “bem-aventurada” (v. 45): “Bem-aventurada aquela que acreditou”. Maria é bendita em primeiro lugar, não por sua maternidade mas pela fé - em contraste com Zacarias, que não acreditou. Assim, Lucas apresenta Maria principalmente como modelo de fé. Já no relato da Anunciação, Maria expressou essa fé quando disse “Faça-se em mim segundo a tua palavra” (v. 38). Assim, ela aceita não somente ser a mãe do Senhor, mas a protagonista da construção de uma sociedade de solidariedade e justiça, tão almejada por Deus. Por isso, Lucas faz uma releitura do Canto de Ana (1Sm 2, 1-10) e coloca nos lábios de Maria o canto do Magnificat, em sintonia com a espiritualidade secular dos Pobres de Javé, que, desprovidos de qualquer poder, põem a sua esperança em Deus, que “dispersa os soberbos de coração, derruba do trono os poderosos e eleva os humildes; aos famintos enche de bens, e despede os ricos de mãos vazias” (vv. 51-53). Longe de ser uma figura passiva, a Maria deste capítulo é modelo para todos que assumem a luta em favor de uma sociedade alternativa, de partilha, solidariedade e fraternidade, o projeto de Deus.Podemos também acrescentar que neste capítulo primeiro nós encontramos as frases da primeira parte da oração da “Ave Maria”: “Ave Maria” (Lc 1, 28),“Cheia de graça” (Lc 1, 28),“O Senhor é convosco”(Lc 1, 28),“Bendita sois vós entre as mulheres” (Lc 1, 42), “Bendito o fruto do vosso ventre” (Lc 1, 42), que demonstra que, quando tratada com fundamento bíblico, a figura de Maria não é empecilho para uma caminhada ecumênica, pois a Escritura a aponta como modelo de fé para todos nós!

 + Tomaz Hughes SVD

Ordenação Diaconal dos Jovens Verbitas (24/08/2019)

19-08-2019 Notícias da congregação

TRÍDUO PREPARATÓRIO DA ORDENAÇÃO DIACONAL (21-23 de agosto de 2019) Local: Matriz, às 19:30 horas 1º Dia (21/08) - Tema: "Chamados a servir e viver em Comunidade" - Celebrante: Pe. George Fernandes, SVD 2º Dia (22/08) - Tema: "Família, santuário de vida e geradora de vocações à serviço do Reino de Deus" - Celebrante: Pe. Aguinaldo Barbosa, SVD 3º Dia (23/08) - Tema: "Ministério...

Leia Mais

Retiro espiritual dos Leigos e Leigas Verbitas em Vista Alegre do Alto - SP (04/08/2019)

12-08-2019 Notícias da congregação

     Aconteceu no dia 04 de agosto de 2019, em Vista Alegre do Alto, diocese de Jaboticabal, SP, o retiro espiritual para um grupo de Leigas e Leigos da região, com a presença de cerca de cinquenta pessoas. O retiro foi organizado pelo Pe. Clemens Naben, SVD - responsável pela animação missionária da província BRC – e também pelas Madrinhas...

Leia Mais

Assembleia dos Formadores da Zona Panam - Equador/Quito (17-24/07/2019)

31-07-2019 Notícias da congregação

Nos dias 17-24 de julho, em Quito no Equador, aconteceu a Assembleia dos Formadores da Zona Panam. O tema principal da assembleia era: UMA VISÃO SISTEMÁTICA E RELACIONAL DA FORMAÇÃO MISSIONÁRIA. Participaram um total de 22 formadores de várias etapas da formação na Zona Panam (Duas Américas). O Brasil foi representado por 11 formadores, quatro da Província Brasil Centro (BRC)...

Leia Mais