"Os Primeiros Lugares"

1ª Leitura: Eclo 3,19-21.30-31 - "Sê humilde e encontrarás graça diante do Senhor."

Leitura do Livro do Eclesiástico.
19Filho, realiza teus trabalhos com mansidão e serás amado mais do que um homem generoso. 20Na medida em que fores grande, deverás praticar a humildade, e assim encontrarás graça diante do Senhor. Muitos são altaneiros e ilustres, mas é aos humildes que ele revela seus mistérios. 21Pois grande é o poder do Senhor, mas ele é glorificado pelos humildes. 30Para o mal do orgulhoso não existe remédio, pois uma planta de pecado está enraizada nele, e ele não compreende. 31O homem inteligente reflete sobre as palavras dos sábios, e com ouvido atento deseja a sabedoria.
Palavra do Senhor.
 

Salmo Responsorial: Sl 67(68),4-5ac.6-7ab.10-11 (R/. cf. 11b)

R. Com carinho preparastes uma mesa para o pobre.

4Os justos se alegram na presença do Senhor*
rejubilam satisfeitos e exultam de alegria!
5aCantai a Deus, a Deus louvai,cantai um salmo a seu nome!*
5co seu nome é Senhor: exultai diante dele! R.

6Dos órfãos ele é pai, e das viúvas protetor: *
é assim o nosso Deus em sua santa habitação.
7aÉ o Senhor quem dá abrigo, dá um lar aos deserdados,*
7bquem liberta os prisioneiros e os sacia com fartura. R.

10Derramastes lá do alto uma chuva generosa,*
e vossa terra, vossa herança, já cansada, renovastes;
11e ali vosso rebanho encontrou sua morada;*
com carinho preparastes essa terra para o pobre. R.

 

2ª Leitura: Hb 12,18-19.22-24a - "Vós vos aproximastes do monte Sião e da cidade do Deus vivo."

Leitura da Carta aos Hebreus.
Irmãos: 18Vós não vos aproximastes de uma realidade palpável: 'fogo ardente e escuridão, trevas e tempestade, 19som da trombeta e voz poderosa', que os ouvintes suplicaram não continuasse. 22Mas vós vos aproximastes do monte Sião e da cidade do Deus vivo, a Jerusalém celeste; da reunião festiva de milhões de anjos; 23da assembleia dos primogênitos, cujos nomes estão escritos nos céus; de Deus, o Juiz de todos; dos espíritos dos justos, que chegaram à perfeição; 24ade Jesus, mediador da nova aliança.
Palavra do Senhor.
 

EVANGELHO: Lc 14,1.7-14 - "Quem se eleva, será humilhado e quem se humilha, será elevado."

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
1Aconteceu que, num dia de sábado, Jesus foi comer na casa de um dos chefes dos fariseus. E eles o observavam. 7Jesus notou como os convidados escolhiam os primeiros lugares. Então contou-lhes uma parábola: 8'Quando tu fores convidado para uma festa de casamento, não ocupes o primeiro lugar. Pode ser que tenha sido convidado alguém mais importante do que tu, 9e o dono da casa, que convidou os dois, venha te dizer: 'Dá o lugar a ele'. Então tu ficarás envergonhado e irás ocupar o último lugar. 10Mas, quando tu fores convidado, vai sentar-te no último lugar. Assim, quando chegar quem te convidou, te dirá: 'Amigo, vem mais para cima'. E isto vai ser uma honra para ti diante de todos os convidados. 11Porque quem se eleva, será humilhado e quem se humilha, será elevado.' 12E disse também a quem o tinha convidado: 'Quando tu deres um almoço ou um jantar, não convides teus amigos, nem teus irmãos, nem teus parentes, nem teus vizinhos ricos. Pois estes poderiam também convidar-te e isto já seria a tua recompensa. 13Pelo contrário, quando deres uma festa, convida os pobres, os aleijados, os coxos, os cegos. 14Então tu serás feliz! Porque eles não te podem retribuir. Tu receberás a recompensa na ressurreição dos justos.'
Palavra da Salvação.
 
 
 

Lucas 14, 1.7-14 - “Quem se eleva será humilhado e quem, se humilha será elevado”

O relato de hoje se situa no contexto de uma refeição na casa de um chefe dos fariseus, que permanece no anonimato. Lucas tem o cuidado de sublinhar que o evento aconteceu em dia de sábado e que os fariseus estavam observando Jesus para tentar pegá-lo em algum erro. Então, embora se trate de uma refeição, não era uma confraternização, mas muito antes um confronto, mesmo que camuflado. Jesus aproveitou a oportunidade para nos deixar o seu ensinamento sobre dois assuntos importantes para a vida dos discípulos: a opção entre a humildade e o orgulho, e a gratuidade.

Como bom pedagogo, Jesus observa a vida ao seu redor e a usa para ensinar algo sobre Deus. Os fariseus eram muito bem vistos no meio do povo simples. É um erro nosso pensar que a palavra “fariseu” seja sinônima de “hipócrita”. Talvez essa ideia venha do Capítulo 23 de Mateus, que reflete a situação de antagonismo entre eles e os discípulos de Jesus no tempo do escrito - pelo ano 85 d.C., quando os fariseus estavam expulsando os cristãos “mateanos” das sinagogas - mais do que a realidade do tempo de Jesus. Os fariseus eram exímios observadores da Lei, mas muitas vezes caíam no perigo de sentir-se superiores às massas que não podiam ou não conseguiam viver a Lei em seus pormenores. Confiando na sua observância como garantia de salvação, na prática dispensaram a gratuidade de Deus.

Vendo como os convidados buscaram os primeiros lugares na refeição, Jesus nos dá a lição sobre buscar os últimos lugares na festa de casamento. À primeira vista, parece que Jesus está nos ensinando a ser falsos ou hipócritas; mas a verdade é outra. O banquete desta história simboliza a nossa vida. Diante da vida, podemos optar - buscar uma vida de prestígio, aos olhos do mundo, com todos os privilégios que isso acarreta, ou buscar o serviço aos irmãos - nos “humilhando”, pois quem servia era considerado menor do que quem era servido (como geralmente ainda hoje é!). De novo Jesus nos coloca diante do seu próprio exemplo - ele que veio “não para ser servido, mas para servir, e dar a sua vida em favor de muitos” (Mc 10, 46). Como é atual este ensinamento! O nosso mundo é um mundo classista, onde “quem pode mais, chora menos”, até nas Igrejas - como gostamos de títulos, honras, prestígio! Em vão buscaremos nos Evangelhos títulos de honra como “Eminência”, “Santidade”, “Reverendo, “Reverendíssimo”! Sem que notássemos, o mundo entrou nas nossas comunidades com as suas falsas categorias! Como é empolgante ouvir o Papa Francisco advertir contra esta busca de prestígio falso nas Igrejas, especialmente quando acontece entre ministros ordenados, religiosos/as e seminaristas. Como ele disse durante uma homilia “a vida religiosa e/ou sacerdotal não é para carreiristas ou alpinistas sociais”. O mesmo é verdade para os ministérios leigos. Nada mais fez do que fazer eco ao ensinamento de jesus  

O centro da questão está em versículo 11: “de fato, quem se eleva será humilhado, e quem se humilha, será elevado”. Não é uma recomendação sádica para que procuremos ser humilhados, como muitas vezes se pregava na formação da Vida Religiosa e na espiritualidade, antigamente. Pelo contrário, é uma orientação para que não ponhamos o nosso valor nos títulos e honrarias vãs que a sociedade tanto aprecia, mas no serviço humilde aos irmãos e irmãs, unindo-nos à luta pelos oprimidos, que são humilhados pela sociedade de consumismo e opulência.Ato contínuo, Jesus nos orienta sobre a gratuidade. Recomendando ao fariseu que ele não convide os que possam retribuir com outros convites, ele nos põe diante do exemplo do próprio Deus que é gratuidade absoluta. Novamente os marginalizados servem como exemplo para o exercício de gratuidade. Temos muitas indicações na literatura daquele tempo que tanto a sociedade judaica como a greco-romana rejeitava este pessoal sofrido. Um documento dos Essênios de Qumrã elenca as categorias que serão proibidas de entrar no banquete escatológico: “os que têm problema na pele, com as mãos ou os pés esmagados, os aleijados, os cegos, os surdos, os mudos; os que têm defeito na vista ou que sofrem de senilidade”. A lista lucana adiciona a categoria “os pobres”. Sabemos que na literatura judaica “os pobres” era muitas vezes a designação usada para Israel e especialmente para os eleitos dentro de Israel. Então Lucas está usando de ironia - mostrando que os verdadeiros eleitos não são os que a sociedade assim considera, mas os realmente pobres, marginalizados e sofredores! O discípulo, “convidando-os”, ou seja, relacionando-se com eles como igual para igual, não receberá deles a retribuição. Eles não terão com o que retribuir, e assim seremos como Deus, que nos ama sem esperar algo em retorno. Assim estaremos colocando a nossa confiança na gratuidade de Deus e não agindo de um modo calculista, como tanto se prega hoje: “é dando que se recebe”, como dizem os politiqueiros cínicos, como também alguns pregadores cristãos, interessados no acúmulo de dinheiro. A imagem do banquete é simplesmente um símbolo. A história nos desafia para que examinemos as nossas motivações mais profundas, para que busquemos o serviço aos irmãos, e para que aprendamos de Deus, que é o Amor Gratuito por excelência.

+Tomaz Hughes SVD

Paróquias em São Paulo se reúnem para estudar Sínodo para a Amazônia e programar ações concretas

16-09-2019 Notícias da congregação

Um número de 50 pessoas entre leigos e religiosos de diversas regiões e dez paroquias de São Paulo reuniu-se no Centro Cultural Missionário Santíssima Trindade em São Paulo para um estudo do instrumento de trabalho sobre o Sínodo para a Amazônia. O encontro foi convocado pela Vivat Brasil, um ramo de Vivat Internacional, que é uma rede formada por 14...

Leia Mais

Ordenação Diaconal na Paróquia Santo Arnaldo Janssen em Diadema (24/08/2019)

28-08-2019 Notícias da congregação

No dia 24 de agosto de 2019, na Matriz da Paróquia verbita Santo Arnaldo Janssen em Diadema, às 19 horas começou a ordenação diaconal de três jovens verbitas: Gêverson Marcelo de Oliveira, Jwakim Ekka e Ronaldo Alves Oliveira. Eles receberam o primeiro grau da ordenação sacerdotal pela imposição das mãos de Dom Pedro Carlos Cipollini, bispo diocesano de Santo André-SP...

Leia Mais

Intenção do Papa Francisco para o mês de SETEMBRO de 2019

22-08-2019 Notícias da Igreja

A proteção dos oceanos (Pela Evangelização) Para que os políticos, os cientistas e os economistas trabalhem juntos pela proteção dos mares e dos oceanos. Reflexão CUIDAR DA NOSSA CASA - O mês de setembro inicia com a Jornada Mundial de Oração pelo cuidado da Criação, instituída pelo Papa Francisco. A celebração deste dia é uma chamada de atenção a todos pela necessidade urgente...

Leia Mais