Foto/fonte: Jornal O São Paulo/Divulgação

Foi aberta neste sábado (21) a Exposição Dom Paulo Evaristo Arns: 95 anos, em homenagem ao cardeal-arcebispo emérito de São Paulo, que morreu em dezembro de 2016. A mostra será montada no Centro Cultural dos Correios, no Vale do Anhangabaú, região central da capital paulista, até 23 de setembro e poderá ser visitado de terça a domingo, das 11h às 17h. A entrada é franca. 

 No átrio do Centro Cultural haverá uma reprodução de aproximadamente 400 metros quadrados da Praça e da Catedral da Sé, com representação de alguns momentos históricos ocorridos naquela região, também no centro paulistano. Entre esses fatos, estão as missas por Alexandre VannuchiVladimir HerzogSanto Dias Manoel Fiel Filho, todos assassinados pela ditadura. A mostra lembrará ainda as missas de 1º de Maio. A exposição inclui depoimentos e imagens inéditas, em vários ambientes.

 Segundo os organizadores, a exposição foi estruturada, prioritariamente, pensando no público jovem e nos estudantes. Por isso "contará com vários elementos interativos, lúdicos e multimídia", segundo material de divulgação. Os eixos da mostra concentram-se em temas como democracia, política, sociedade, legado intelectual, Igreja e comunicação. Destaque maior foi dado para a relação de Dom Paulo com o povo da rua, suas ações pela justiça social e em defesa dos perseguidos políticos, a interação com os trabalhadores e com os movimentos sociais.

Em uma das salas o tema será a atuação do cardeal durante a ditadura. Em área com uma reprodução do antigo Departamento Estadual de Ordem Política e Social (Deops), o público poderá assistir à peça Lembrar é Resistir, dirigida pelo ex-preso político Izaías Almada. O trabalho é interativo – o público será "conduzido de cela em cela" –, com apresentações diárias, às 14h30 e 15h30. 

Nesse mesmo espaço se encontrará uma versão gigante do livro Brasil: Nunca Mais, lançado em 1985, com denúncias e documentação sobre torturas de presos políticos, um marco do movimento por justiça e verdade. Também ali, uma outra área vai remeter à vala clandestina do Cemitério Dom Bosco, em Perus, onde, em 1990, foram descobertas mais de mil ossadas, parte delas de desaparecidos durante o regime autoritário.

 A exposição terá ainda uma linha do tempo com temas sobre a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que está completando 70 anos. Em um vídeo, os 30 artigos do texto são lidos por 30 pessoas, incluindo refugiados, moradores de rua e artistas, como Criolo, Martinho da Vila e Paulinho da Viola. E não faltarão citações ao Corinthians, time de coração do religioso, com fotos e depoimentos de ex-atletas como Basílio e Casagrande. 

 A curadoria é das jornalistas Evanize Sydow e Marilda Ferri – autoras de biografia sobre Dom Paulo –, além de Maria Angela Borsoi, secretária do cardeal durante décadas,  e Paulo Pedrini, da Pastoral Operária. Durante ato solene na Assembleia Legislativa de São Paulo, em junho um grupo chegou a fazer ameaças contra a exposição, mas nenhum incidente foi registrado posteriormente.

 O evento tem apoio de várias entidades: Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM-CUT), Fundação Maurício Grabois, Fundação Lauro Campos, Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), Fundação Leonel Brizola, Fundação Perseu Abramo, Conselho Regional de Psicologia de São Paulo, Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal do Estado de São Paulo, O Autor na Praça, Federação dos Trabalhadores do Ramo Químico da CUT no Estado de São Paulo e Central Missionária dos Franciscanos da Alemanha. 

Fonte: Reprodução:  redebrasilatual.com.br

 redebrasilatual.com.br/cidadania/2016/10/em-ato-por-dom-paulo-lembrancas-de-tempos-dificeis-e-resistencia-6480.html

Foto/fonte: Dom Paulo em 1939 – Jornal O São Paulo/Divulgação

 

Foto/fonte: Jornal O São Paulo/Divulgação

 

Pastoral da Mobilidade Humana

07-12-2018 Notícias do Mundo

Fotos/Fonte: tveast.dk "Multidões cansadas e abatidas: gente sem raiz, sem pátria e sem destino, com o futuro incerto e inseguro. Multidões que erram pelas estradas do êxodo, do deserto, do exílio e da diáspora. Não como o Povo de Israel no Antigo Testamento, que ao menos nutria-se na travessia com o sonho da Terra Prometida; tampouco como as primeiras comunidades cristãs, que no caminho podiam-se...

Leia Mais

Papa Francisco: "Eu sou assim livre diante de Deus?"

06-12-2018 Notícias da Igreja

Comentando sobre o menino argentino que tomou a cena na Audiência Geral. O menino tem sete anos tem autismo e não fala. A espontaneidade e curiosidade do menino que quis verificar se o guarda suíço - estava vivo, e após a comprovação a sua vivacidade em circular espontaneamente  conquistou o Papa que fez um belo comentário espontâneo.    Fotos: vaticannews.va/pt https://youtu.be/qXEoCXYsnPg

Leia Mais

Em 2019 um mês extraordinário para a missão

06-12-2018 Notícias da Igreja

Por Pe. Fabrizio Meronni*  O Papa Francisco proclamou outubro de 2019 como Mês Missionário Extraordinário com o objetivo de: “despertar em medida maior a consciência da missio ad gentes e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral”. Trata-se de acontecimento eclesial de grande importância que abrange todas as Conferências Episcopais, os membros dos institutos de vida consagrada, as...

Leia Mais