Ano Mariano
2016-2017
As 7 lições de liderança do Papa Francisco

Muito além da religião, Francisco nos trouxe uma nova perspectiva de liderança, mostrando a cada dia com suas palavras e principalmente com...

Leia mais...

Após 32 dias de mobilização, índios do Xingu conseguiram nesta sexta-feira (7/10), a troca no comando do Distrito de Saúde Especial Indígena (Dsei) de Canarana (MT)

Grupo de mulheres indígenas durante a ocupação do Dsei

Foto/fonte: Reprodução ISA

Cerca de 400 pessoas, representando as 16 etnias do Parque Indígena do Xingu, ocuparam pacificamente ao longo do mês de setembro e outubro a sede do Dsei Xingu para reivindicar a saída imediata do então coordenador Otercindo Francisco da Silva. Desde que tomou posse em março deste ano, Otercindo, indicado ao cargo pelo deputado federal Valtenir Pereira (PMDB-MT), recebe crítica dos indígenas por conta da má gestão de recursos e falta de diálogo com a qual coordenava o Dsei. Yefucá Kawaiwete, funcionário da Casa de Saúde Indígena (Casai) de Canarana denuncia sistematicamente a falta de remédios e equipamentos médicos nas aldeias e na cidade, ainda que tenha recurso disponível. “Por isso fomos obrigados a nos mobilizar. A gestão estava fracassada, faltava atenção para as necessidades dos indígenas. Fechamos o Dsei para que as autoridades prestassem atenção na nossa reivindicação”, conta Yefucá.

Valtenir Pereira ao lado dos organizadores do movimento,Yefucá e Mairawe Kawaiwete


Foto/fonte: Reprodução ISA

Os protestos na sede do Dsei começaram no dia 5 de setembro. Os indígenas se revezaram ao longo das últimas semanas na ocupação, que variava entre 200 e 400 pessoas. Os cerca de 30 funcionários da sede permaneciam na unidade, sem permissão para trabalhar durante o dia, e ao final da tarde podiam retornar para suas residências. Mesmo com a exoneração de Otercindo no dia 16 de setembro e a indicação do nome de Alessandra Santos Abreu, então secretária municipal de saúde de Canarana, para a coordenação do Dsei Xingu, os indígenas afirmaram que só sairiam com a publicação da nomeação no Diário Oficial da União, que aconteceu no (7/10).

Alessandra Santos Abreu, nova coordenadora do Dsei (de blusa e calça jeans no centro da foto), dança com os indígenas


Foto/fonte: Reprodução ISA

Os indígenas vão comemorar a posse de Alessandra na sede do Dsei e esperam que a nova gestão seja feita em conjunto com as comunidades do Xingu. “Vamos entregar a chave do prédio para a Alessandra. Ela vai tomar posse com a presença de todos e, a partir da semana que vem, vamos construir uma nova gestão transparente e com a participação dos indígenas”, comemora Yefucá.

Ocupação do Dsei durou 32 dias


Foto/fonte: Reprodução ISA

O Dsei Xingu atende as 90 aldeias no Parque Indígena do Xingu, território onde vivem mais de seis mil indígenas de 16 povos. “É assim que se faz a democracia, demos uma aula pros políticos. Conquistamos o que é nosso direito por meio da nossa união", ensina Yefucá. "Essa é uma conquista de todos os povos do Xingu!”.


Fonte: www.socioambiental.org

Assista ao vídeo da ocupação feito pelo videomaker indígena Kamikiá Kisêdjê

 

As 7 lições de liderança do Papa Francisco

29-03-2017 Notícias da Igreja

Muito além da religião, Francisco nos trouxe uma nova perspectiva de liderança, mostrando a cada dia com suas palavras e principalmente com atitudes transformadoras que o exercício da liderança pode ser mais simples do que se parece quando temos humildade para servir e boa vontade com o outro. Em março de 2013, após uma eleição histórica, o cardeal argentino Jorge Mario...

Leia Mais

JUPIC - Vale do Ribeira

28-03-2017 Notícias da congregação

No Dia 18 deste mês o EAACONE - é uma entidade juridicamente constituída, sem fins lucrativos, que trabalha para que o artigo 68 das Disposições Transitórias da Constituição Federal cumpra os requisitos que dizem respeito ao direito à terra dos Remanescentes de Quilombo. Trabalha com as Comunidades Remanescentes de Quilombos dos Municípios de: Barra do Turvo, Iporanga, Eldorado, Iguape, Cananéia...

Leia Mais

Reforma da Previdência

28-03-2017 Notícias da Igreja

É em nome pessoal e em nome da CRB Nacional, que representa mais de 35 mil religiosos e religiosas, que lhes escrevo. Faço-o com o coração entristecido por, mais uma vez, ver os interesses de poucos solaparem os direitos de muitos, especialmente das crianças e jovens mais pobres e vulneráveis. Literalmente querem nos tirar as migalhas.Pessoas com passado não muito...

Leia Mais